Não me venha com gaiolas

A maioria dos conselhos que recebo sobre o que eu falo, escrevo ou canto são conselhos “políticos”. A maioria deles vem com a palavra “cuidado”. Me pergunto; cuidado com o quê? Se a política religiosa cortou suas asas não tente cortar as minhas…

Deixe-me voar, sou pássaro selvagem, sou um barco à velas… a política religiosa são cordas que querem me manter no cais, é gaiola aberta com uma frutinha na porta quando está vazia, gaiola fechada quando o pássaro cai na armadilha.

Já vi muitos amigos “pássaros livres” se iludirem com a frutinha da gaiola e perderem a capacidade de voar; Perderam a beleza, perderam o canto, perderam o encanto… Alguns ainda se alegram em ver outros voando, outros querendo voar sem poder começam a criticar os que voam, dizendo: “cuidado! voar é muito perigoso”…

Triste mesmo são os que nascem em gaiolas, como alguém disse em algum lugar: “Pássaro nascido em gaiola pensa que voar é doença”…

Não preciso de conselhos políticos, administrativos ou institucionais, preciso de conselhos espirituais… Não preciso ser administrado ou adestrado, preciso ser pastoreado… Deus me deu asas, me ajude a voar mais alto. Não me venha com gaiolas…

Bom mesmo é encontrar outros pássaros voadores, brincamos de voar juntos e aprendemos novas acrobacias…